Matéria-prima x Sustentabilidade

Matéria-prima e sustentabilidade são temas que estão cada vez mais em discussão, principalmente nas pesquisas mais recentes sobre impactos ambientais.

Pensando nisso, é preciso entender melhor como essa rivalidade acontece, mas também como é possível aliar desenvolvimento em todo o tema.

Vamos começar?

Uma rivalidade descoberta há poucos anos

Para começar, é importante ter em mente que o ser humano, desde muitos anos atrás, vem utilizando a matéria-prima presente na Terra.

Entre as mais conhecidas estão o plástico, que vem das seringueiras, a madeira e o petróleo.

Em resumo, matéria-prima se refere a qualquer tipo de item utilizado para a fabricação de alguma coisa, desde o sapato que você usa até mesmo as roupas e o próprio alimento.

Entretanto, há algum tempo, diversos estudos começaram a ser desenvolvidos para entender o quanto dessa matéria está disponível hoje, comparado ao passado.

Através dessa comparação, seria possível prever um pouco melhor as condições do futuro.

E é justamente neste aspecto que as coisas ficam complicadas.

Ainda que algumas dessas matérias tenham em abundância, a verdade é que elas não vão durar para sempre.

Ao mesmo tempo, outras já estão ficando escassas e, cada vez mais, é preciso pensar em sustentabilidade.

De acordo com a ONU, sustentabilidade caracteriza o atendimento das necessidades das gerações atuais.

Entretanto, esse atendimento não pode comprometer as gerações futuras em relação a essa necessidade. Então, temos uma certa rivalidade.

Afinal, se continuarmos utilizando as matérias-primas como estamos usando até agora, é possível que, dentro de alguns anos, algumas matérias deixem de existir.

Matéria-prima pode acabar? Que absurdo é esse?

Pode mesmo parecer absurdo pensar que a matéria-prima pode vir a acabar.

Entretanto, se você pensar bem, várias “coisas” foram sumindo ao longo dos anos e qualquer curso online com certificado no tema pode garantir isso.  

Para isso, basta observar a lista de animais extintos devido a caça ilegal ou mesmo em excesso.

Por outro lado, você pode pensar que está tudo bem que alguns animais não existam mais, que seria um tipo de seleção natural.

Logo, é preciso dar um exemplo um pouco mais difícil de viver sem: a água.

Isso porque, o planeta Terra está repleto de água, com mares que se estendem por todos os lados, mas com uma água que não pode ser consumida.

Ou seja, a água do mar existe, é abundante, mas você não pode viver apenas com ela.

Já a água doce, essencial para a vida do ser humano e de todas as espécies, é uma água que não tem tanta abundância assim.

Ao mesmo tempo, diversas empresas acabam perfurando lençóis freáticos, contaminando rios ou mesmo utilizando sem nenhuma consciência ambiental.

O resultado é que a matéria-prima possa vir a acabar um dia.

Pode ser que você não esteja aqui para ver isso, mas talvez seus filhos, netos ou próximas gerações sim.

Portanto, mesmo que pareça algo realmente absurdo, a matéria prima pode sim acabar e trazer consequências devastadoras para todo o planeta e para tudo que vive nele.

Onde nasceu essa rivalidade, afinal?

Bom, considerando que a matéria-prima é essencial para as indústrias, bem como para a economia dos países, muitas empresas acabam explorando mais do que deveriam.

Assim, surge a rivalidade entre matéria-prima e sustentabilidade.

Enquanto alguns especialistas afirmam que é possível utilizar de forma sábia e controlada tudo o que a Terra oferece, outros preferem acreditar que os lucros são mais importantes.

Ou seja, o principal impasse do tema refere-se a dinheiro.

Por exemplo, quanto uma madeireira pode lucrar com o desmatamento de uma área do tamanho de um campo de futebol?

Quem vai substituir aquele campo e esperar as árvores crescerem novamente?

Provavelmente não a madeireira, já que não é financeiramente interessante.

Matéria-prima x Sustentabilidade: como aliar os temas?

Sabendo que o tema sempre traz muitas discussões, é preciso definir, primeiramente, alguns pontos simples, sendo eles:

  • Existem alternativas para o consumo excessivo, mas precisa ser discutido;
  • Todo o tema envolve não apenas empresas e indústrias, mas população em geral;
  • A população precisa cobrar de seus governantes as mudanças;
  • Conhecimento é fundamental.

Dessa maneira, não basta apenas falar sobre o assunto, é preciso pensar em formas de lidar com o problema.

Logo, existem milhares de opções de curso online com certificado que pode mostrar melhor como aliar a teoria a prática.

Assim, é preciso começar com o conhecimento: as pesquisas são fundamentais, os estudos de campo não podem deixar de existir e você precisa procurar boas fontes.

Da mesma maneira, é preciso começar a pensar em assuntos que possam mudar a rotina das empresas e pessoas em geral.

Deste modo, os grandes impactos que precisam ser levados a sério incluem:

Reaproveitamento de água

A água potável, ideal para o consumo humano, precisa começar a ser algo reaproveitado.

Inclusive, esse reaproveitamento também deve incluir economias, por parte da população em geral.

Então, economizar e reaproveitar é a regra.

Reciclagem

A quantidade de lixo que os seres humanos produzem é gigantesca e precisa parar.

Caso contrário, vai contaminar ainda mais áreas que poderiam servir para viver e ainda impactar todo o ambiente terrestre.

Dessa forma, é preciso começar a reciclar mais e consumir menos itens que não possam  ser reaproveitados.

Inclusive, prefira sempre utilizar o que pode ser reciclado e separe o seu lixo.

Matéria-prima e sustentabilidade devem existir em todos os lugares

Independentemente do país, da religião, cultura ou qualquer outro tópico, matéria-prima e sustentabilidade são essenciais e precisam ser tratadas como tal.

Por isso, comece a falar sobre o tema em casa, na sua roda de amigos, na escola ou em qualquer outro lugar.

Pouco a pouco, mais pessoas tornam-se conscientes e melhor é o impacto dessa ação, que começou pequena para o mundo.

Faça a sua parte!

Você ainda tem alguma dúvida ou gostaria de saber mais sobre o assunto?

Comenta aqui embaixo para que eu possa te ajudar ou aproveite para compartilhar as suas dicas e experiências com nossos leitores.

Inclusive, deixe a sua dica de conteúdo que gostaria de ver aqui na página.

Grande abraço e até o próximo post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *